E-mail: contato@silviamalamud.com / Tel: +55 11 9 9938-3142 /Av. Angélica, Higienópolis - SP

Lavagem Cerebral em relacionamentos abusivos Sobre os sistemas abusivos que nos levam ao esquecimento, ao sono profundo, sem sonhos.

26/06/2017

Ao longo das nossas histórias a maioria de nós, passivamente e sem questionamento algum, se quer desconfia de que o modo como sente ou pensa pode ter sido totalmente alterado por outros sistemas de valores e de crenças muito diferentes do que poderíamos ser. Mais do que se imagina, inúmeras pessoas ao longo de suas vidas são submetidas à potentes forças de persuasão e coerção, nem sempre as identificando como tais. Correm o risco de esquecerem-se por completo de quem um dia já foram, sem sequer suspeitarem do quanto passaram a viver como autômatos.

 

Existe uma metodologia chamada de Lavagem Cerebral que faz uma espécie de doutrinação cega no pensamento e no modo de ser das pessoas reeducando-as para que funcionem de acordo com o que se espera que sejam. Para que este intento se realize com sucesso, métodos agressivos como persuasão, imposição autoritária, inserção de culpas, cansaço e outros da mesma ordem costumam servir como regras básicas a serem aplicadas sobre as vitimas. Com os avanços das condutas de tortura mental, automaticamente essas pessoas vão sendo inseridas em situações de clausura, posto que com o tempo, não mais conseguem viver a própria vida distantes dos abusos. Permanecem numa espécie de torpor psicológico que as impedem de ver com clareza onde e como estão. Acabam se convencendo de que não vão dar conta de terem vida própria, com pensamentos livres e independentes. São induzidas a pensar que não serão capazes de se auto gerenciarem sem os tais tutores abusadores. Nessa etapa a confusão perceptiva já esta feita e a lavagem cerebral totalmente realizada. Chamo isso de fase final do ser humano, onde ele, mesmo que não saiba, desistiu de si mesmo.

 

Em relacionamentos com abusadores narcisistas perversos, por exemplo, os métodos não são nada distantes do que é conhecido como lavagem cerebral e sim, podemos fazer analogias. Narcisistas perversos usam de agressividade velada ou não com a finalidade de persuadirem parceiros à silenciarem em suas autodefesas, vencendo-os pelo cansaço até que por fim consigam denegrir suas auto estimas gerando o esperado, que é a dependência emocional. Para chegarem nesse ponto, os farão acreditar nas mais descabidas mentiras incluindo duvidarem de si mesmos e de suas capacidade inatas de terem discernimento.


Por meio da lavagem cerebral, os correlacionados começam a pensar e ter opiniões sobre si mesmos que não teriam se estivessem em condições de liberdade, mas não sabem disso. Nestes termos, as técnicas utilizadas para a lavagem cerebral costumam ser a desumanização, privação do sono, assédio moral, inserção de sentimentos de culpa, inversão sequencial de verdades e gaslightening.
Os comportamentos abusivos sobre as vitimas serão tão incidentes e tão indutores de culpa que chegará um ponto em que seus cérebros estarão como uma pagina em branco, hora em que as presas ficam totalmente dominadas e submissas. E mesmo quando sabem que sofreram abusos, muitas das vitimas, pelo efeito maléfico da lavagem cerebral, passam a acreditar que não serão capazes de seguir com a própria vida sem estarem atadas aos seus algozes.


Fragilizadas, supõe que seus abusadores são o únicos que tem o poder para conduzir as suas vidas. Parece historia de ficção, mas infelizmente não é. Com isso, muitas ainda que visivelmente dilaceradas, no período da necessária ruptura, por vezes ainda desesperadamente defenderão os seus manipuladores, clamando para voltarem à situação de reféns.

 

Se acaso estiver passando por algum relacionamento desconfortável,por alguns instantes faça o papel do observador, e como se fosse uma terceira pessoa começando a enxergar o que esta acontecendo nessa relação, ouse entrar na sua essência priorizando ver as nuances do seu eu real. Veja se esta relação de verdade te deixa feliz e completo e se é este é o caminho a seguir. Faça uma reflexão e observe se você se deslocou de tudo o que pode significar ser você mesmo. E, no final, se concluir que pode estar passando alguma situação de abuso emocional busque olhar para fora da caixa desconstruindo verdades que em alguns momentos lhe pareceram ser absolutas. Peça ajuda e faça terapia para efetivamente viver o direito de estar no seu melhor.


Quanto mais despertos, melhor!


Silvia Malamud 
Psicologa EMDR/Brainspotting/escritora
Autora dos livros Sequestradores de Almas e Projeto Secreto Universos

Please reload

Artigos Recentes 
Please reload

Redes Sociais
  • Facebook
  • Instagram
Palavras-Chave