E-mail: contato@silviamalamud.com / Tel: +55 11 9 9938-3142 /Av. Angélica, Higienópolis - SP

Mães Narcisistas e suas filhas

26/10/2017

 

Mães narcísicas perversas se autointitulam como boas e amorosas mães, mas as suas reais atitudes, que na maioria das vezes somente acontecem nos bastidores, é que irão revelar quem de fato elas são e que, com toda certeza, é bem distante do que pregam, inclusive perversamente, confundindo a sanidade e a percepção das próprias filhas. São mães funcionais, ou seja, fazem o serviço que mecanicamente sabem que têm que fazer. Neste pacote, porém, agem sem qualquer empatia e sem alma em tudo o que seria afeto. Essas filhas jamais se sentem ouvidas porque de verdade nunca o foram.

Como resultado de vida, tais filhas de mães narcísicas malignas podem passar uma vida inteira tentando validar o que sentem, já que nunca tiveram nenhuma referência de confirmação por parte dessas genitoras. Inúmeras vezes terão que se deparar com sentimentos de vazio interior e medo de relações mais íntimas por conta da rejeição sofrida.

A sensação emocional passada por essas mães é de que o que se faz nunca está bom e que poderia ser melhor e que elas, as mães, certamente fariam ou fazem melhor. Se acaso estiver com alguma dor ou dificuldade, ou a ignoram por completo, ou o que é mais comum, desqualificam o peso do seu sofrimento contando que os delas sempre são ou foram maiores que os seus.

Filhas de mães narcísicas sabem da regra de nunca poderem ter acesso emocional às suas mães, um sofrimento profundo e silencioso. Com isso, imaginem o estado de abuso emocional que podem viver. Não existem fronteiras pessoais. Toda individualidade é negada simplesmente por que não se existe quando se tem uma mãe com um adoecimento dessa ordem. Existe um grito surdo. Filhas não são atendidas em suas necessidades emocionais, mas isso jamais pode ser revelado por conta do castigo ou da ofensa que esse fato representaria ao narcisismo da mãe. Se fosse reclamar, a filha já seria nomeada como agressiva ou ingrata. O pior abuso se transforma na obediência cega de tais filhas quando são induzidas a confirmar mundo afora de que esta tudo bem dentro de casa. O estado de concordância de tais filhas parece ser menos mal do que a retaliação e rejeição vindas por parte da mãe. A espera é a de reconhecimento e de um afeto que jamais virá. O pano de fundo desta trama é a rejeição e a tentativa da filha de ser amada. Muitas vivem uma vida inteira em busca de um olhar de verdadeiro amor até que entendam que ele nunca virá deste tipo de mãe. Até poderem se libertar desse drama, inclusive, para se liberarem para serem amadas de verdade.
Enquanto essas filhas permanecerem como presas se dedicando à mãe para receberem um mínimo de afeto, mais desprezo a esta devoção, elas terão. É a lei.

Por sua vez, para sua sobrevivência psíquica, a mãe narcisista perversa, com todas as suas forças, luta contra tudo e todos protegendo-se de um possível acesso ao seu self verdadeiro, por medo de um suposto ataque desintegrador que vem de fora. Com isso, cria máscaras e mais máscaras de perfeição que protegem, matam e morrem por este self interior frágil.
Haja terapia!

Quanto mais despertos, melhor!

Silvia Malamud

 

 

Please reload

Artigos Recentes 
Please reload

Redes Sociais
  • Facebook
  • Instagram
Palavras-Chave