Narcisistas como Trapaceiros Emocionais


No inicio do contato com um narcisista, invariavelmente ele se mostrará charmoso, sedutor e gentil. Essa é a primeira faceta que surge e que faz com que os desavisados logo se sintam envolvidos, encantados e a muito vontade com eles. Porém, um pouco mais adiante de todo este mar de encantamentos e sedução, outras instancias começam a entrar em cena. Como são insaciáveis caçadores de aplausos e devoção, em geral, a maioria dos seus movimentos são calculados neste sentido, portanto, na segunda etapa de conhecimento, mesmo que não estejam exatamente conscientes sobre os seus atos, todas as suas ações serão neste sentido. A confiança e o bem-estar ilusoriamente alçados, gradativamente serão minados em função das sutis manipulações que visam fazer quem estiver por perto, servi-los em suas infinitas demandas de magnanimidade. A partir deste momento, eles serão os únicos que terão espaço para aparecerem em cena, sendo que qualquer brilho que não seja o deles, deverá ser imediatamente eliminado, mas não de modo que possa denegrir as suas imagens, e sim em meio a estratégias e jogos altamente sofisticados.

Um dos principais prazeres do adoecimento narcísico é a satisfação em se sentir poderoso através do domínio e do controle.

A trapaça emocional do narcisista sempre está presente, mas depois da fase da conquista é que toda a suposta empatia de inicio ressurge de modo bastante diferente. Nesta etapa, as demandas provem de cobranças, exigências, projeções negativas e ameaças de rompimento. Confusas e sem entender o que esta acontecendo, vitimas atônitas, sentem-se culpadas, responsabilizando-se pelas constantes mudanças de humor e insatisfações que vão chegando sem aviso e sem motivo aparente. A suposta empatia vai mostrando a sua real intenção, que não tem nada a ver com as propostas de inicio, apenas servindo como uma distorção barata de tudo o que pode significar este termo.

Para o narcisista, a empatia funciona como uma poderosa manipulação que inventa no outro, tudo o que ele não é, direcionando-o sobre como deve ser. São articulações acionadas de modo velado, em nome de satisfazer o abusador narcisista, em seus amplos desejos de liderança absoluta. Um traço de tirania que visa apropriação indevida da identidade do outro, transformando-o em objeto para uso próprio. Um verdadeiro sequestro de alma.

Quando já se veem em território conquistado, narcisistas, trapaceiros emocionais, frequentemente agem com hostilidade e fúria descomunal mediante qualquer atitude que sugira estarem perdendo terreno. Suas expressões de ira são devastadoras, sendo que na maioria das vezes os motivos por eles expostos além de incoerentes, são totalmente incompreendidos, geralmente levando as vitimas a terem sentimentos de perplexidade e culpa, somados à auto percepções de menos valia. As violências costumam ser verbais e tem o poder de exercer o aniquilamento emocional de quem estiver por perto.

A descompensação narcísica baseia-se no alto receio de serem destronados. Como esquema de proteção, contam com um tipo de hipervigilancia, sendo altamente reativos e muitas vezes vingativos, quando se percebem ameaçados.

As principais armas que usam como corretivo para deixarem as suas vitimas submissas, são os conhecidos castigos de silencio, o mal humor e os seus infinitos argumentos. Por meio de discursos infindáveis objetivam a missão de provarem o quanto estão corretos, até se perceberem como vitoriosos a ponto de provocarem a paralização e a anestesia da consciência de suas vitimas, uma verdadeira lavagem cerebral.

Outros narcisistas conseguem seus intentos colocando-se como vitimas sofredoras que tiveram ou que estão passando por historias difíceis. A tática é colocar quem estiver próximo, penalizado e a serviço para suprir as infindáveis queixas de auto martírio. E como todo narcisista que se preze, em meio a tais argumentos ficam mais e mais centrados em suas questões, posicionando-se como mais importantes do que qualquer demanda alheia.

Como não desenvolvem a capacidade de amar e de criarem vínculos, manipulam as situações apenas para tirarem proveito, transformando as pessoas em meros objetos de utilidade, sendo que estes podem ser descartados a qualquer momento, se perderem o sentido de uso.

Costumam atrair fãs, pessoas devotas e todo tipo de gente que os alimentem em seus insuperáveis desejos de reconhecimento como pessoas especiais e grandiosas. Um observador não encantado e conhecedor, facilmente poderá perceber em seus discursos, um amontoado de falas vazias com falta de conteúdos palpáveis.

Ainda como trapaceiros emocionais, muitos narcisistas, independente de terem capturado seus reféns, alimentam os seus desejos de magnanimidade criticando tudo e todos, e mais especificamente aqueles que não compactuam com suas crenças e dogmas. Fazem uso desses termos como se fossem verdades absolutas e como ferramentas de menosprezo.

Para finalizar, toda a trapaça dos abusadores narcisistas visa preencher o enorme vazio da necessidade de amor que lhes foi negada no antes e que agora eles próprios negam em relação à outros. O acesso está fechado, rompeu-se o elo e o narcisista não é capaz de se satisfazer com mais nada, por mais que almeje. Um poço sem fundos que nunca fica cheio, uma demanda que os fazem agir como vampiros emocionais em suas incessantes buscas do amor ideal. E embora saibam que existe o amor verdadeiro , se quer conhecem o gosto.

Para atender essas necessidades, precisariam entrar em contato com a dor da falta daquilo que não tiveram, fazer o luto desta falta e a partir deste momento, começarem as suas jornadas com mais humanidade para si e para os outros.

Quanto mais despertos, melhor!

Silvia Malamud

Artigos Recentes 
Redes Sociais
  • Facebook
  • Instagram
Palavras-Chave

E-mail: contato@silviamalamud.com / Tel: +55 11 9 9938-3142 /Av. Angélica, Higienópolis - SP